10.28.2013

é de coração que somos feitos

Não. Não tenho fotografias para mostrar.
Não. Não tenho quase palavras para escrever.
Há mais de um mês que a máquina, a das fotografias, está parada em cima da cómoda. Consigo ver o pó daqui, não me mexo sequer, todo esse movimento me parece impossível agora.
Há trinta e oito dias, se levarmos isto dos preciosismos muito a peito, há trinta e oito dias que a Terra deixou de rodar na sua perfeita rota natural. O mundo parou por instantes, e com ele as fotografias, as palavras, os projectos que tinha nas mãos, parou o sono, pararam as horas, parou o descanso. O ar rarefeito, o céu em stand-by.
Quase que não me recordo de como era não estar preocupada, do doce travo do lugar seguro, quase que não me recordo de não ter o coração na mão esquerda, laivos de optimismo na direita. As duas juntas não fazem o sol.
E eu tenho, temos, tantas saudades do sol, do sol e do outono que não tivemos, do amarelo e do castanho que não apreciamos daquele banco do jardim. Do primeiro frio na cara que não sentimos, da marmelada que não fizemos, das castanhas que não fomos apanhar. De tudo e tudo que estes trinta e oito dias nos tiraram.
Tenho igualmente saudades das minhas fotografias que tantas e tantas vezes me devolveram a calma necessária  e que, desta vez, não passam de um subterfúgio para o qual não tenho tempo. Eu disse que o mundo parou? É verdade, a mais cruel das verdades.
Acredito, com todo o meu coração porque é de coração que somos feitos, acredito no lugar-comum dos lugares-comuns, acredito no tudo vai melhorar. Tudo vai melhorar e estes dias serão nada mais que uma miragem longínqua de uma má jornada de outono. Repito, repito, repito...
Aquele outono, quando as folhas caíram e ninguém estava lá para dizer como eram bonitas.



E uma das minhas Marias faz anos.
O mais bonito dos mundos, para ela.




IMG_3676
IMG_3683

10 comentários:

  1. Que corra tudo bem. Que venham dias mais felizes e que consigas, em breve, limpar o pó à tua máquina.*

    Beijinhos,
    Olivia

    ResponderEliminar
  2. Fiquei sem palavras depois daquilo que li. É incrível a (triste) sintonia em que estamos. Fiquei e continuo sem palavras porque parece que as tuas conseguiram dizer exactamente aquilo que tenho sentido nestes últimos dias (no meu caso 24 dias desde que o meu mundo parou) e que não consigo dizer, ou pelo menos não de forma tão bonita como tu (e sabes como adoro as tuas palavras). E é bom ao menos ver alguma beleza nisto tudo, na tristeza das palavras e desta nossa triste sintonia. Um grande, grande beijinho minha querida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu fiquei sem palavras com tudo o que escreveste, de lágrima nos olhos, completamente enternecida. Foi talvez o comentário mais bonito que li aqui, e sabes como adoro também todas as tuas palavras, toda a tua delicadeza. Um grande beijinho e que esta sintonia se transforme depressa em coisas bonitas. ♡

      Eliminar
  3. Fiquei sensibilizada quando li as suas palavras através do blog da Ana (meiomaio). Fiquei igualmente encantada com o seu cantinho. Voltarei, com certeza, mais vezes. Joana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh muito obrigado Joana. Ainda bem que gostou e espero que volte sempre, sempre. Um beijinho! :)

      Eliminar

Acerca de mim

A minha fotografia
O meu nome não é Rita Laranja. E gosto de tirar fotografias. amidnightinbuenosaires@gmail.com